• Mirella Schuch

TCC: dedo no c* e gritaria

Um storytelling, ou seja, uma narrativa, conta sempre com um(a) protagonista. E neste caso, a protagonista sou eu. O fato é que muita gente protagoniza ou irá protagonizar este papel em algum momento da vida, o de estudante que faz o TCC. Na verdade, eu tô mais pra coadjuvante. Vou contar o porquê.


Em uma das aulas de Marketing de Conteúdo da minha graduação, meus colegas compartilharam seus storytelling’s sobre o processo de TCC deles. Nem estou fazendo o bendito fruto de um ventre que não é o meu, mas me senti realizada pelos meus colegas estarem finalizando esta etapa tão importante da vida. Não estou cursando a matéria de tcc e nem por isso me sinto atrasada, para trás ou triste. Porque eu entendi que o tempo de cada pessoa é diferente. E esse não era o meu.


Desde que eu entrei na universidade, nem tinha aprovado na primeira matéria e já estava pensando sobre o tema do TCC. A primeira ideia era falar sobre sexo. Não importava o formato. Seria sobre sexo! Aí eu fui avançando nas disciplinas e levantei vários assuntos possíveis de se abordar: feminismo, vegetarianismo, educação, terceira idade… Até que cheguei no último ano de faculdade e decidi que meu TCC seria sobre algo relacionado a educação sexual.


Me matriculei em todas as matérias do 7º período, porque até então minha sanidade mental estava mais estável e achei que daria conta de tudo. No fundo, eu sabia que não era o momento. Mas por que deixar pra depois o que pode acabar contigo hoje, não é mesmo? E mais uma vez eu não ouvi minha intuição. Antes mesmo de a pandemia do Covid-19 transformar a rotina das pessoas, eu tranquei não só a matéria de TCC, como também a de estágio. Não foi de forma impulsiva, foi com o sentimento de liberdade. Liberdade para escolher o que eu quero e não o que a sociedade impõe. O que me faz bem.


Com o passar dos meses, via meus colegas tendo que enfrentar não só a ansiedade do processo do TCC, mas também a angústia, o medo do vírus, as incertezas, além de adaptá-lo à realidade imposta pelo novo Coronavírus. Eu sabia que seria muito realizada fazendo o TCC sobre o tema, mas não conseguiria me sentir bem fazendo algo tão importante com tantas outras coisas acontecendo ao mesmo tempo. E o mais importante, sem ter vencido um desafio muito maior que o próprio TCC: o Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG).


Contando desta forma, parece até que foi fácil trancar a disciplina de TCC. Porém, foi menos doloroso porque tranquei uma disciplina no quinto período. Naquela época, eu jamais admitiria ter que trancar um componente curricular e não finalizar o que eu tinha começado. Foi brochante. Mas eu precisava aceitar que a disciplina não estava me fazendo bem e que não custava nada eu respeitar o que meu corpo estava tentando me alertar (além de ter que pagar por trancar, é claro).


Aquela frase clichê de “ouça seu coração” é real, viu?! A gente tá tendo uma taquicardia e continua querendo meter os pés pelas mãos. É por isso que o autoconhecimento é fundamental. A gente precisa conhecer nosso corpo, nossos limites e como nossa respiração funciona. Precisamos olhar pro presente, analisar o presente e viver o presente.


Terminar a faculdade em 4 anos é muito bom, mas melhor ainda é respeitar a gente mesmo. Quando entendemos isso, tudo fica mais gostoso. O processo de TCC é uma fase que exige muita energia da gente, é sobre conexão. Se você não estiver bem para fazer, está tudo bem não fazer agora. Faça no teu tempo. Tente esquecer que a gente vive numa realidade capitalista, que quer que a gente consiga fazer tudo da melhor e mais rápida forma possível. E se não for da tua vontade “parir esse filho”, está tudo bem também. A tua história diz respeito a ti, e é você quem decide os teus passos. E como amo uma metáfora, finalizo dizendo: dedo no c* nem sempre precisa ser com gritaria. Se fizer com calma, tudo fica mais gostoso.


47 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

TCC: uma relação de amor e ódio

Foram três anos de uma caminhada esperando o dia em que eu teria que definir o tema do meu trabalho de conclusão de curso. Durante esse percurso muitas ideias haviam passado pela minha cabeça, diversa

Um jogo de TCC

Antes mesmo do jogo começar, alguns preparativos são necessários. No TCC, assim como no esporte, existem regras claras a serem seguidas, mas isso não significa que sejam assim tão compreensivas - essa

O TCC sou eu, e eu sou ele

É o grito que sempre quis dar, é a mensagem que sempre quis passar, é a luta que sempre vou lutar. Meu Trabalho de Conclusão de Curso foi uma desconstrução, construção e renovação. Posso dizer que ent